29.4.15

 

Major_Barbara_1.jpg

 

 

 

José Cutileiro.jpg

 

 

Contas à vida

 

 

 

É pena que a juventude se desperdice nos jovens, disse Bernard Shaw e quanto mais os anos passam melhor o entendo. É claro que cabeças afinadas sempre deram por isso embora só muito raramente na altura devida – foi o caso de Paul Nizan, ao começar o seu Aden Arabie: “Tinha vinte anos. Não deixarei ninguém dizer que é a idade mais bela do mundo”.

 

Morre jovem o que os Deuses amam é um preceito da sabedoria antiga disse Fernando Pessoa de Mário de Sá-Carneiro, preceito que, como outros, aguentara os dois milénios e meio que vão de Homero até nós mas é posto em causa por progressos da ciência e pelo mandamento cristão de amar o próximo como a nós mesmos. Além disso, dantes as transições eram espaçadas – ao ponto de, entre os Dayaks do Borneo, por exemplo, se morrer duas vezes – e sabia-se de onde se vinha e para onde se ia. E nem toda a gente pode ter razão ao mesmo tempo, ao contrário do que pretendia Montaigne quando escreveu que antes do cristianismo ou fora do alcance deste, quem tivesse sido bom seria salvo por Deus, fossem quais fossem as suas crenças. É o que lógicos chamam a falácia de Montaigne e dela não há saída: ou o Deus em que eu acredito é o verdadeiro ou não é - ponto final, parágrafo. (A globalização de constituições democráticas vem dar mais outra demão à pintura. Ter certezas na cabeça e querer também paz sobre a terra para os homens – e mulheres - de boa vontade com outras certezas na cabeça é pedir trabalhos de Hércules e sofrimentos de Job. Democracia dá trabalho e a preguiça é um dos pecados mortais).

 

E os velhos? Se Deus não gostasse de velhos porque deixaria haver cada vez mais? E o que eles gostam da vida! Não me esqueço de cardíaco negro no hospital de Santa Maria, de olhos fechados, impávido qual estátua jacente, enquanto professor explicava a sua doença a futuros médicos. Quando chegou à terapêutica o moribundo abriu um olho, levantou um braço, anunciou “Eu dou-me bem é com a aminofilina”, baixou o braço, fechou o olho, calou a boca e voltou a esperar a morte. Eutanásia compulsória? E a aminofilina? Vai ser o bom e o bonito.

 

Amparo-me em muleta de Shaw também para acabar. Na peça Major Barbara (major da Salvation Army) o pai da heroína é industrial de armamento e o namorado é idealista de esquerda. Discutem à porta da fábrica. Não resisti a emprestar as suas palavras a protagonistas de peripécias europeias dos nossos dias.

 

                                   Varoufakis

 

O senhor julga que eu trocava a minha consciência pelo seu dinheiro?

 

                                     Schäuble

 

E o senhor julga que eu trocava o meu dinheiro pela sua consciência?

 

Sempre houve ricos e pobres, suspirava a Avó Berta - e emigrantes afogados no Mediterrâneo, talvez acrescentasse agora, que o caruncho do tédio esfarela a Disneylândia de Direitos Humanos que construímos durante a Guerra Fria para chamar a Rússia à pedra; Rússia que - não haverá nada a fazer? – insiste em ser ainda muito pior do que nós.

 

 

 

Imagem aqui

 

link do postPor VF, às 07:04  comentar

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo