30.4.16

 

g-cloud-in-the-sky.jpg

 

 

 

geringonça
ge.rin.gon.ça
nome feminino
(do provençal antigo, gergon, «linguagem corrompida ou incompreensível»)

 

A origem deste termo parece ser a mesma da palavra francesa a que fomos buscar o nosso «jargão», que designa a linguagem de um grupo, mais concretamente o léxico específico de um grupo profissional ou social (o mesmo que gíria, portanto), nisso diferindo de calão, que é um fenómeno similar, mas em registo mais circunscrito e grosseiro.
Certo é que a palavra adquiriu uma nova vida, isto é, um outro sentido, que é praticamente o único que encontramos no português contemporâneo, e que também existe no equivalente espanhol jeringonza. E, assim, a geringonça é um artefacto rudimentar que, podendo ser relativamente astucioso (característica que partilha com engenhoca), é especialmente imperfeito ou mal feito, mal engendrado, tosco, grosseiro, mal-amanhado, mal-enjorcado, atamancado, albardado, de tal modo precário na sua construção – a qual podemos ver como estando presa por fios ou por arames – que a qualquer momento ameaça partir-se, desfazer-se, desconjuntar-se, descompor-se, desmanchar-se.

 

 

 

link do postPor VF, às 09:00  comentar

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo