7.1.17

 

 

B letter bricks

 

 

 

 

burgesso
bur.ges.so
nome e adjectivo masculino
(de origem obscura?)
 
 
 
A vida das palavras é realmente fascinante. A generalidade dos dicionários regista o termo dando-o como originado do nome do nadador britânico Thomas William Burgess, o segundo homem a fazer a travessia do Canal da Mancha a nado. O vocábulo usa-se na língua portuguesa como sinónimo de grosseiro, pouco inteligente, estúpido, ignorante, quer na variante vulgar, quer na pretensiosa. Bill Burgess ganhou uma medalha olímpica nos jogos de 1900, realizados em Paris, na modalidade de Pólo Aquático. Em 1904 fez a sua primeira tentativa de repetir o feito do Capitão Matthew Webb, em 1875, nadando de Dover a Calais. Após onze tentativas entre 1904 e 1908, Burgess realizou o feito, devidamente certificado, em Setembro de 1911. Além disso, foi o primeiro nadador a usar óculos de protecção para nadar, usando para tal os óculos que os pilotos de automóvel então utilizavam. O homem treinou posteriormente outros nadadores de sucesso. Como se chega então de Burgess, o nadador, a burgesso, o grosseiro e ignorante? Pela pujança necessária para realizar a travessia? Pela persistência que foi necessária? Pelo seu físico compacto? Não há, aparentemente, na biografia ou no carácter do indivíduo nada que justifique a necessidade ou o rumo do então neologismo. A verdade é que o termo existe, está registado e é usado. E não faltam burgessos que exemplifiquem as suas acepções. Vem logo à memória o Dâmaso Salcede de Os Maias, modelo de um tipo particular de burgesso que nunca perdeu seguidores involuntários e ainda ocupa, hoje, lugar cativo nas bancadas da oligarquia governante. Antes fossem nadadores. Digo, nadadores a sério.
 
 
 
 
link do postPor VF, às 09:00  comentar

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
contador sapo