30.11.08

 

 

O historiador Geoffrey Batchen diz que chegou o momento de o discurso histórico sobre a fotografia incluir tudo aquilo que o cânone tradicionalmente tem ignorado. O que quer dizer as fotografias lá de casa, as suas e as de toda a gente.

 

 

Toda a gente tem fotografias de família em casa. O que é que ganhamos em olhar para fotografias anónimas do mesmo género?

 

 

Elas condensam alguns dos nossos valores mais preciosos: as nossas noções de identidade, de relação com os outros. A família, por exemplo, é qualquer coisa que é constantemente reiterada nessas fotografias. Se quisermos perceber a história dessas relações, dos nossos elos emocionais com outras pessoas e lugares, devemos estudar a fotografia vernacular. Os instantâneos têm o potencial de ser invisíveis mas também são susceptíveis de gerar uma reacção emocional, funda, mesmo que sejam de outras pessoas.

 

 Leia aqui a entrevista de Georey Batchen ao Público

 

 

 

Cristina, 1963

 

 

 

 

 

 

 

link do postPor VF, às 15:26  comentar

De Jorge A. S. a 30 de Novembro de 2008 às 18:23
(...)devemos estudar a fotografia vernacular", dizes com razão.

Tenho vivido do/no fascínio das imagens e das palavras, mas a família, o passado, as feridas por sarar... todo um programa...para o qual ainda não encontrei coragem.

Anima-me muito que ponhas mãos à obra.

Abraço.




De Jorge A. S. a 30 de Novembro de 2008 às 18:30
Cristina, sempre presente, sempre connosco.

De msr a 30 de Novembro de 2008 às 22:38
Ora bem! Então era isto k andavas a fazer ;-) eu bem k perguntei de x em quando "mas por onde anda a Vera k ninguem sabe dela?!"...pois, compreendo a atracção da ideia: a prenda que eu e meus sobrinhos demos a minha Mãe no seu último aniversário foi precisamente um album que fizemos, sobre ela e a sua vida, a partir do meu armário de fotos!...Não é de todo uma operação indolor, porém...especialmente quando aqueles que tb lá estão já cá não estão...un beso!
msr

De helena cardoso a 30 de Novembro de 2008 às 23:17
Obrigada, Vera! Estou muito satisfeita por teres concluído essa tarefa hercúlea. Com o dever cumprido, estes pontos à margem no blog são uma delícia para quem em algum ponto cruzou os vossos rostos e caminhos.
Beijos


De Ana Vidigal a 1 de Dezembro de 2008 às 09:56
Querida Vera
Adorei!
Sempre excelente!
Beijo grande
ana v.

De A. Costa Santos a 1 de Dezembro de 2008 às 16:01
Vera:

Parabéns pela ideia e, sobretudo, pela concretização. A fotografia da Casa de Freitas - já não a conheci assim, como era antes do incêndio - trouxe-me à lembrança tantas e tão gratas recordações da minha meninice...
Já está nos "favoritos", o teu blog, que prometo visitar regularmente.
Da tua terra natal, mando-te saudades e "bon courage" para a vasta empresa a que te lanças.
ACS


pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo