3.7.11

 

 

  

 

Portugal, 1970

 

 

 

A «Praia-Piscina-Flutuante» é um interessante empreendimento do arquitecto Eduardo Anahory, a que deu o nome de «Seapool».

 

Esta praia-flutuante pode definir-se como sendo uma grande jangada no centro da qual fica instalada uma piscina com paredes e fundo perfuradas, em rede de nylon, de modo a que a água seja constantemente renovada e filtrada. Esta jangada é constituída por elementos modulados cuja montagem, desmontagem e armazenagem é de grande facilidade.

 

A primeira «praia-piscina-flutuante» cuja inauguração assinalámos em número anterior, esteve instalada em frente da praia do Tamariz, no Estoril, durante o Verão deste ano. Era composta de 32 elementos com as medidas exteriores de 30 metros por 20 metros, tendo a piscina propriamente dita, as medidas de 20 x 10 metros. No «deck» de 400 m2, podiam instalar-se confortavelmente 100 pessoas, além do equipamento de bar, instalações sanitárias e equipamento acessório: guarda-sol, cadeiras e mesas.

 

A gravura mostra-nos um aspecto da «Seapool» instalada na praia do Tamariz. A despeito do elevado número dos seus utentes e de ter suportado por vezes ventos e ondulações fortes, não sofreu quaisquer estragos nas peças componentes. Agora desmontada e armazenada, voltará a ser instalada no próximo Verão.

 

Este tipo de piscina flutuante, além de trazer para o banhista a possibilidade de tomar banho ao largo sem correr qualquer risco, pode constituir óptima solução para as zonas da costa que não têm praias ou para ampliar e valorizar as praias acanhadas e superlotadas, podendo ser de grande utilidade também, com fins turísticos ou desportivos, em barragens e lagos.

 

 

 

in "Lisbon Courier" XXV Ano – nº 294-295-Outubro de 1970

 


link do postPor VF, às 20:33  comentar

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo