26.6.09

 

 

 

 

Há muitos anos, quando as minhas sobrinhas eram pequenas, levei-as a ver Michael Jackson no estádio de Alvalade. Nada pode substituir a experiência de assistir a um espectáculo assim num estádio cheio, ter oportunidade de ver e ouvir aquele cantor e bailarino de excepção, acompanhado por aquela banda, a tocar aquelas músicas. Lembro-me de ter ficado surpreendida com a altura e a corpulência de Michael Jackson, são pormenores de que só nos apercebemos ao vivo, a televisão engana nas proporções e cria-nos estas surpresas.

 

Mais recentemente, já depois de todas as chatices, não pude deixar de o reconhecer no patético e comovente Willy Wonka (Johnny Depp) de Charlie and the Chocolate Factory (Tim Burton, 2005).

 

Ao receber ontem à noite a notícia da sua morte, um sms da minha sobrinha Rosa, já passava da meia-noite - "viste as notícias"? - seguido de breve conversa ao telefone, as duas emocionadas, lembrei-me da minha mãe a chorar quando morreu Marilyn Monroe, da capa do "Paris-Match" em casa dos meus avós.

 

Querido Michael Jackson. Descansa em Paz.

 

link do postPor VF, às 10:49  comentar

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo