7.5.09

 

 

 

 

Edição P.O.L. , Fixot, 1991

 

 

 

A fonte de inspiração de Retrovisor, um Álbum de Família foi uma série documental da autoria de Frédéric Mitterrand, exibida pela televisão francesa durante a década de 80, colecção fascinante de retratos do século XX, de políticos, soberanos, estrêlas de cinema e escritores, entre outros.

O formato é o seguinte: após uma introdução muito breve do narrador, o filme começa, e vamos assistir a uma longa sequência de imagens, acompanhada da leitura de um texto em ‘voz off’. Durante um pouco mais de uma hora, veremos desfilar uma quantidade incrível de verdadeiros tesouros documentais, desenterrados dos numerosos arquivos públicos, e privados, nos quais se encontram preservados.

Nos anos 90, conheci aqui em Lisboa um rapaz que fora assistente de realização de Frédéric Mitterrand, no programa que este dedicou a Luchino Visconti. Fiquei então a conhecer o seu método de trabalho. Neste caso, a equipa havia-lhe preparado uma sequência de imagem com a duração de aproximadamente cinco horas. O texto fora escrito sobre esta sequência, entretanto reduzida a uma versão de pouco mais de uma hora.

Salvaguardadas as devidas proporções, foi isto que fiz com o meu espólio familiar. Considerava muito interessante o meu material, mas devo dizer que só depois de examinar os documentos da vida profissional de meu pai admiti que o livro pudesse atrair mais do que a mera centena de parentes e amigos a quem inicialmente o destinara.

 

Os textos das séries Étoiles et toiles (1981-86) e Destins (1987-88), exibidas pelo canal de televisão "Antenne 2", foram reunidos no início dos anos 90 em quatro volumes ilustrados, intitulados Destins d'étoiles. A eles voltarei em próximos posts.

 

Mais sobre Frédéric Mitterrand aqui

Destins d'étoiles aqui

link do postPor VF, às 16:47  comentar

De Isabel Lacruz Bassols a 9 de Maio de 2009 às 15:15
Este LIBRO-RETROVISOR tan bonito, que llegó ayer a mis manos, aquí en Barcelona, con la foto en portada de una CRISTINA-VERA-NIÑA absorta, medio siglo atrás, en otro RETROVISOR-LIBRO - mise en abîme de infancias y lecturas-, me hace feliz. En esta primavera de "dolencia barométrica" para mí, este relato bella e inteligentemente ilustrado de la familia de Vera abre puertas y ventanas, por las que se infiltra el viento de un Portugal de civilización y tolerancia, de gran amor a la vida. Entiendo, Vera, que los programas de Frédéric Mitterrand pudieran inspirarte en tu tarea; considero, con todo, que tu Retrovisor es más cálido, su textura recuerda la de la de madera, da más sombra. Este tu álbum de familia tiene una gran densidad arbórea por centímetro cuadrado. Consuela. Acoge. Cobija. Vasco y Margarida, hoy "entre galaxias, serrijones y colinas" (como mi añorado papá) sonríen a su hija Veramente artista. Gracias i n f i n i t a s .
Isabel

De pandora a 13 de Julho de 2010 às 03:18
I like it very much;

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo