26.2.09

 

 

 


Joaquim Monteiro Grillo, Vasco, Cristina e Christine Marshall

Parque de Yosemite, California, 1961

 

 

TEMPO DA MEMÓRIA


Memória dúbia,

Assim te aceito

Antecipando o futuro ou já.

 

Tua raiz é liame inevitável

E madre nossa corrupta,

Parceira da razão parda.

 

Memória impertinente

És,

Nas montras, monstro familiar

E nos cafés e nos livros,

Ao lado do volante,

Nos vultos, nos gestos, carícias, até...

A sua sombra.

 

E no resto,

Estrume em requintado canteiro

De poesia ou versos só,

Mas queira Deus, flores também,

 

Mesmo proibidas de colher...

 

 

Tomaz Kim

in Exercícios Temporais

colecção Poesia e Verdade, Guimarães Editores,1966.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

link do postPor VF, às 19:08  comentar

De helena cardoso a 1 de Março de 2009 às 11:03
Que boa ideia reler Tomaz Kim! Recordei os meus primeiros dias em Letras e de como me impressionaram o Padre Manuel Antunes e o Joaquim Monteiro Grilo, pessoas tão diferentes. O JMG era bem parecido, solto, elegante e, aos meus dezassete anos, apresentava-se como o espírito livre. Deu logo uma bibliografia extensa e essencial e desses livros, que são clássicos, muitos estavam proibidos. Daí a pouco tempo caiu no Chiado e morreu logo. Lemos a lista quase toda mas não me lembro de quem o substituiu. O Padre Manuel Antunes, esse, continuou muitos anos, felizmente...


De VF a 1 de Março de 2009 às 11:54
Joaquim Monteiro Grilo e a mulher foram grande amigos dos meus pais. Aparecerão em "Retrovisor, Um Álbum de Família" e a eles voltarei também neste blog. Muito obrigada pelo teu comentário, assim pelo comentário ao post "rapazes" que apreciei muito. É um estímulo saber que continuas a visitar...
beijo amigo
Vera

pesquisar neste blog
 
mais sobre mim
Translator
sitemeter
contador sapo